fbpx
Tudo sobre CBD

Canabidiol (CBD): conheça os 4 efeitos colaterais do tratamento

Apesar de poucos, o Canabidiol pode sim causar alguns efeitos colaterais, porém muito leves. Veja quais podem ser os efeitos colaterais com uso do canabidiol. O que é Canabidiol? Antes de tudo, o canabidiol (CBD) é um produto da planta Cannabis sativa, contudo também conhecida como cannabis ou cânhamo. Mais de 80 produtos, conhecidos como […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 20 de julho de 2022
Canabidiol Efeitos colaterais

Apesar de poucos, o Canabidiol pode sim causar alguns efeitos colaterais, porém muito leves. Veja quais podem ser os efeitos colaterais com uso do canabidiol.

O que é Canabidiol?

Antes de tudo, o canabidiol (CBD) é um produto da planta Cannabis sativa, contudo também conhecida como cannabis ou cânhamo.

Mais de 80 produtos, conhecidos como canabinóides, foram encontrados na planta Cannabis sativa.

Poucas pessoas sabe que o canabidiol, na verdade é obtido do cânhamo, que por sua vez é uma forma da planta Cannabis sativa que contém apenas pequenas quantidades de THC.

Eventualmente, se você não sabe o que é THC, em poucas palavras, é o que dá, principalmente o efeito psicoativo quando usado em grandes quantidades. Então, com isso, o medicamento canabidiol possuí uma quantidade muito pequena desse ativo.

Inegavelmente, o canabidiol parece ter efeitos em alguns produtos químicos no cérebro, mas estes são diferentes dos efeitos do THC.

O canabidiol ou CBD, também é usado para ansiedade, dor, um distúrbio muscular chamado distonia, doença de Parkinson, doença de Crohn e muitas outras condições.

Como o Canabidiol é um medicamento de prescrição aprovada pela Anvisa, não pode ser legalmente incluído em alimentos ou suplementos alimentares.

Dessa forma, o canabidiol só pode ser incluído em produtos “cosméticos“. No entanto, ainda existem produtos de canabidiol no mercado rotulados como suplementos alimentares.

Em outras palavras, a quantidade de canabidiol contida nesses produtos nem sempre é a mesma que está indicada no rótulo, por isso, sempre compre canabidiol de empresas que possuam testes de laboratórios terceiros.

https://medicina.in/conteudo/destaque/cbd-acabou-com-a-hemorragia-da-endometriose/

Para que serve o CBD?

  • Ansiedade
  • Depressão
  • Burnout
  • Insônia
  • TDA e TDAH
  • Dor Crônica
  • Artrite
  • Fibromialgia
  • Endometriose
  • Enxaqueca
  • Parkinson
  • Alzheimer
  • Epilepsia
  • Autismo
  • Esclerose Múltipla
  • Artrose e Artrite
  • Reumatismo
  • Osteoporose
  • Náuseas
  • Doença de Crohn
  • Asma
Banner

Canabidiol (CBD): efeitos colaterais

Com toda a certeza, no início do tratamento, alguns dos efeitos colaterais podem ser sentidos até que seja encontrada a dosagem ideal. Dessa forma, você precisa conhecer alguns efeitos colaterais do canabidiol:

  • Sonolência
  • Dor de cabeça
  • Alteração do apetite
  • Diarreia

Sem dúvida, ao mesmo tempo que o paciente evolui no tratamento, o efeito colaterais no tratamento com canabidiol mais comum é a sonolência. Ou seja, se você tem problemas para dormir, é possível tomar uma quantidade maior de canabidiol a noite para ter uma qualidade de sono melhor como resultado.

Em suma, outros mais incomuns incluem tontura, dor de cabeça, alteração do hábito intestinal, do apetite e da frequência cardíaca.

No entanto, além de serem muito mais brandos do que os efeitos colaterais causados por medicamentos tradicionais usados para o tratamento das mesmas patologias, grande parte desses efeitos pode ser facilmente eliminada com ajustes na dosagem, o que torna crucial o acompanhamento constante de um médico.

Efeitos colaterais do canabidiol em números

Por exemplo: veja esse gráfico abaixo sobre os efeitos colaterais dos pacientes em tratamento com canabidiol na Medicina In, só para ilustrar, e que fazem parte do nosso acompanhamento semana a semana com nosso time de saúde:

Canabidiol e seus efeitos colaterais

Em resumo, até hoje a maior parte das pessoas não sentiram nenhum efeito colateral ou efeito adverso e apenas 39.5% sentiram sonolência, boca seca ao acordar e leves tonturas que sumiu conforme o ajuste de dosagem do canabidiol.

Enfim, o uso do canabidiol precisa de acompanhamento e muita disciplina por parte do(a) paciente, para que tenha os resultados positivos esperados e sem nenhum efeito colateral se destaque mais do que 1 ou 2 semanas e que os benefícios que o canabidiol pode trazer seja muito maior que seus efeitos colaterais.

O que sabemos: até hoje poucas contraindicações foram detectadas cientificamente junto ao uso do canabidiol.

Assim sendo, o uso do canabidiol para fins medicinais, outras composições de canabinoides podem ser prescritas, reduzindo consideravelmente todos os efeitos colaterais.

Como resultado, entre os efeitos colaterais que nosso time de saúde notou: o aumento no débito cardíaco, taquicardia e da pressão arterial.

Dosagem em que iniciam a sentir alívio com canabidiol com menos efeitos colaterais

Como falamos anteriormente, ao evoluir a dosagem do canabidiol os efeitos colaterais somem ao longo do tratamento, todavia, é importante um acompanhamento de profissionais da área da saúde. Só para ilustrar, preparamos uma tabela de dosagem em que os pacientes começaram a sentir alívio e menos efeitos colaterais com uso do canabidiol:

PatologiaBenefício adquiridoEfeitos colateraisDosagem (mg)
EpilepsiaCrises mais curtas e menos frequentesNão 75mg
AnsiedadeRedução nas crisesNão40mg
InsôniaQualidade do sonoSim (a princípio)60mg
DepressãoMaior estabilidade no humorSim (a princípio)100mg
Dor crônicaRedução na intensidadeNão60mg (+THC)
ParkinsonMelhora na função motoraNão150mg
EnxaquecaMenos crises intensasNão25mg
FONTE: Acolhemed (Programa de Acolhimento e Acompanhamento da Medicina In)

Em conclusão: O benefício adquirido superam os efeitos colaterais.

FONTE: Acolhemed (Programa de Acolhimento e Acompanhamento da Medicina In)

Conclusão dos efeitos colaterais do canabidiol

Por fim, o tratamento com canabidiol – igual a qualquer outro medicamento – pode trazer vários benefícios a seus pacientes. O mais importante é que as pessoas conheçam a sua finalidade, os seus limites e entendam qual dosagem funciona melhor para o próprio problema.

Em primeiro lugar, sempre consulte um médico que prescreve cannabis medicinal e que seja experiente.

Fonte:

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21462790/#:~:text=The%20effects%20of%20cannabis%20are,with%20high%20levels%20of%20intoxication.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.