fbpx
Canabidiol

Canabidiol: o que é, onde encontrar e para que serve!

Canabidiol é um composto químico entre os 113 canabinoides identificados na planta da Cannabis Sativa. Canabinoides são substâncias naturais ou artificiais que ativam os receptores canabinoides do tipo CB1 (no sistema nervoso central) ou CB2 (localizado no sistema imunológico). Há milhares de compostos químicos na Cannabis e centenas deles são encontrados em todas as frutas, […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 16 de junho de 2022
imagem do canabidiol em gotas

Canabidiol é um composto químico entre os 113 canabinoides identificados na planta da Cannabis Sativa.

Canabinoides são substâncias naturais ou artificiais que ativam os receptores canabinoides do tipo CB1 (no sistema nervoso central) ou CB2 (localizado no sistema imunológico).

Há milhares de compostos químicos na Cannabis e centenas deles são encontrados em todas as frutas, flores e ervas que os fazem soltar aromes e sabores. O Canabidiol está na lista dos canabinoides mais comuns.

Índice

  • O que é Canabidiol
  • Canabidiol onde comprar
  • Para que serve Canabidiol
  • Uso do Canabidiol
  • Tratamento com Canabidiol
  • O que é Canabidiol

O uso do Canabidiol no Brasil está liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) desde janeiro de 2015, quando deixou de estar relacionado entre as substâncias proibidas e passou a fazer parte das substâncias de uso controlado.

A reclassificação do Canabidiol facilitou o monitoramento de pacientes que já faziam uso de medicamentos com base no composto e permitiu que houvesse, desde então, avanço da pesquisa relacionada ao uso dessa substância como tratamento alternativo a diversas doenças.

Em razão de ser praticamente desprovido de propriedades psicoativas que o Canabidiol passou a ser pesquisado sobre seus efeitos clínicos no organismo.

De acordo com levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Canabinoides (BRCANN), os pedidos de importação de medicamentos à base de Canabidiol mais do que dobraram na comparação entre 2020 e 2021 — de 19.150 para 40.191 (crescimento de 110%).

Segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, a busca por remédios contendo Canabidiol — que já demonstrava sinal de crescimento em anos anteriores — deu um salto nos dois últimos anos com a chegada da pandemia.

Especialistas apontam que a procura foi influenciada pela eficácia comprovada do Canabidiol no tratamento de uma série de condições, tais como fibromialgia e dores crônicas.

Por atuar no sistema nervoso central, o Canabidiol apresenta potencial terapêutico para ser usado no tratamento de doenças psiquiátricas (ansiedade, depressão) ou neurodegenerativas (esclerose múltipla, esquizofrenia, mal de Parkinson, epilpesia).

Em entrevista ao veículo paulista, Tarso Araújo, diretor da BRCANN, afirma que a pandemia acarretou problemas relacionados ao isolamento social e, especialmente, à depressão. Logo, os benefícios trazidos pelo Canabidiol na qualidade de vida passaram a ser considerados.

“Sabemos que o confinamento causa depressão, que pode ser um gatilho para algumas condições, como a fibromialgia. O CBD [Canabidiol] age controlando sintomas que aparecem nessas diversas situações”, aponta.

Para Araújo, o aumento da procura por medicamentos compostos por Canabidiol também pode ser explicada pelo crescimento da busca por informações sobre a substância.

“São os próprios pacientes que buscam como aliviar os seus sintomas e descobrem os benefícios terapêuticos do CBD [Canabidiol]. O que ainda enfrentamos, infelizmente, é uma resistência por parte da classe médica em reconhecer o benefício”, reconhece.

Afinal, para que serve o Canabidiol? O Canabidiol é um dos mais de 100 tipos de canabinoides extraídos da planta Cannabis Sativa.

A comunidade científica tem comprovado que o Canabidiol é uma alternativa segura de tratamento para diversas doenças graves e difíceis de serem tratadas por meio de métodos mais tradicionais.

Ao contrário de outros compostos da Cannabis Sativa, o Canabidiol não possui nenhum efeito psicoativo ou alucinógeno.

Além disso, o Canabidiol não causa dependência e nem promove crises de abstinência após a interrupção do seu uso.

Os medicamentos à base de Canabidiol atuam principalmente nos receptores canabinoides (CB1 e CB2) localizados por toda a extensão do corpo humano.

Os efeitos do Canabidiol se destacam pela atuação no sistema motor, sendo relacionado ao tratamento da dor e também de espasmos musculares.

O potencial terapêutico do Canabidiol auxilia no tratamento de uma série de doenças, entre as quais a ansiedade, a depressão, o Parkinson, a esquizofrenia e a epilepsia.

Maria Teresa Jacob, especialista no tratamento de dor crônica e medicina canabinoide, em entrevista à revista Boa Forma, afirma que o uso do Canabidiol se concentra principalmente em doenças cujos cuidados não atingem resultados satisfatórios pelos métodos tradicionais.

“Entre elas, estão a epilepsia, refratária aos tratamentos convencionais; o autismo, o Parkinson; o Alzheimer, e as dores crônicas”, explica.

“Já existem pacientes utilizando também para doenças da saúde feminina, como a endometriose e as cólicas menstruais; em cardiologia, para diminuir níveis de colesterol e melhorar disfunções cardíacas; em pneumologia, para melhorar o sistema respiratório; e em oncologia para tratamento dos sintomas relacionados à quimioterapia, como náusea e vômito, e para diminuir a dor oncológica”, completa.

Uma série de propriedades terapêuticas foram demonstradas com o uso do Canabidiol no tratamento de doenças, tais como:

  • Anti-inflamatório;
  • Analgésico;
  • Neuroprotetor;
  • Anticonvulsionante;
  • Antioxidante;
  • Atináuseas e antiemético;
  • Antitumoral;
  • Ansiolítico;
  • Antipsicótico;
  • Redutor do desejo em consumir heroína, cocaína e álcool;
  • Imunomodulador.

Além disso, o Canabidiol pode funcionar como redutor da pressão arterial e dos níveis de colesterol e glicemia.

A comunidade médica, por sua vez, tem se mostrado mais aberta a adotar o Canabidiol dentro do tratamento de doenças graves, cujo objetivo visa controlar os sintomas de maneira segura, melhorando a qualidade de vida.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, em dezembro de 2017, que “em sua forma pura, o Canabidiol não parece ser prejudicial nem apresentar risco de abuso”.

O neurocirurgião Fernando Gomes, em entrevista à CNN, aponta que o Canabidiol indica um método viável por não causar dependência química nem produzir efeitos colaterais graves.

“Você faz a utilização com uma prescrição adequada. O Canabidiol pode, no máximo, deixar a pessoa com um pouco de sono”, afirma.

Tanto a comunidade científica como a comunidade médica têm buscado entender e incorporar o Canabidiol cada vez mais como alternativa terapêutica capaz de oferecer um tratamento seguro e eficaz.

Com isso, a ideia não é acabar com os métodos considerados tradicionais, mas, sim, trazer o Canabidiol como um aliado.

Pesquisadores da Universidade de Minnesota observaram que os canabinoides podem formar um complemento útil aos analgésicos atuais, especialmente em baixas doses incapazes de induzir hiperalgesia [sensibilidade exagerada à dor] ou outros efeitos colaterais.

Canabidiol onde comprar

Os medicamentos à base de Canabidiol onde comprar ocupam as prateleiras das farmácias e drogarias brasileiras desde dezembro de 2019, quando a Anvisa passa a conceder autorização sanitária para a comercialização desses produtos.

Com a publicação da RDC 327, os remédios que têm o Canabidiol onde comprar como composto devem seguir uma série de normas exigidas, como testes laboratoriais e documentos que comprovem que a saúde do consumidor não será colocada em risco.

Conforme a agência regulatória determina, os extratos de Canabidiol onde comprar não são considerados medicamentos, mas produtos.

Atualmente, 19 fármacos que possuem o CBD onde comprar como princípio ativo estão disponíveis para o tratamento de doenças.

  • Extrato de Cannabis Promediol (50mg/ml)
  • Extrato de Cannabis sativa Greencare (160,32 mg/mL).
  • Extrato de Cannabis sativa Mantecorp Farmasa (160,32 mg/mL).
  • Extrato de Cannabis sativa Mantecorp Farmasa (79,14 mg/mL).
  • Canabidiol Prati-Donaduzzi (20 mg/mL; 50 mg/mL e 200 mg/mL). 
  • Cannabis Medicinal NuNature (17,18 mg/mL). 
  • Canabidiol NuNature (34,36 mg/mL). 
  • Cannabis MedicinalFarmanguinhos (200 mg/mL). 
  • Canabidiol Verdemed (50 mg/mL). 
  • Cannabis Medicinal Belcher (150 mg/mL).
  • Canabidiol Aura Pharma (50 mg/mL).
  • Cannabis Medicinal Greencare (23,75 mg/mL).
  • Canabidiol Verdemed (23,75 mg/mL). 
  • Extrato de Cannabis sativa Promediol (200 mg/mL). 
  • Extrato de Cannabis sativa Zion Medpharma (200 mg/mL).  
  • Extrato de Cannabis sativa Cann10 Pharma (200 mg/mL). 
  • Extrato de Cannabis sativa Greencare (79,14 mg/mL).
  • Extrato de Cannabis sativa Ease Labs (79,14 mg/mL).
  • Canabidiol Active Pharmaceutica (20 mg/mL).

Por ser considerado um medicamento (produto) controlado, o consumidor necessita de receita médica e alguns requisitos para adquirir o Canabidiol onde comprar.

Além da prescrição de um médico responsável, normas devem ser seguidas para realizar esta compra da medicação à base do Canabidiol onde comprar:

  • Prescrição médica para até seis meses de tratamento;
  • A quantidade em unidades (frascos) poderá ser equivalente àquela prescrita como necessária para este período;
  • O médico responsável deve inserir a justificativa contendo o CID ou o diagnóstico da doença;
  • A receita deve apresentar a indicação da dosagem adequada, data e assinatura do médico responsável.

Existe a possibilidade de o paciente importar o medicamento à base de Canabidiol onde comprar em casos de doença cujas condições de saúde permitam adotar esse método de tratamento.

A Anvisa, além de autorizar essa alternativa de obtenção do produto composto por Canabidiol onde comprar, exige autorização especial nessa operação.

E ainda há uma outra alternativa de compra de fármaco cujo composto é o Canabidiol onde comprar: produto com venda não autorizada.

Caso a medicação de Canabidiol onde comprar destinado ao tratamento médico esteja indisponível no Brasil, mas faça parte da lista da Resolução RDC 570, pode-se providenciar a importação. Neste caso, uma aprovação da Anvisa para liberação deve ser solicitada.

O interessado deverá preencher o formulário que está disponível no site oficial da Anvisa e apresentar a receita médica mais a documentação exigida. 

Havendo aprovação ou não do trâmite de importação, a resposta será enviada pela agência em até 10 dias. Vale lembrar que a Anvisa permite apenas remédios administrados via oral ou nasal.

Estados Unidos, Canadá, Colômbia e Uruguai são os países que importam remédios produzidos a partir do Canabidiol onde comprar.

Para que serve Canabidiol

O Canabidiol é uma substância química originária da planta Cannabis Sativa, também conhecida como cannabis o cânhamo.

O composto não contém Tetrahidrocannabinol (THC), o ingrediente psicoativo encontrado na Canabis e que produz efeito narcótico intenso.

Pelo contrário: ele é um composto que atua no sistema nervoso central e, portanto, um psicoativo cujos efeitos produzidos se opõem ao THC.

Por isso, é canabinoide ao qual são reconhecidos os efeitos benéficos para o tratamento de alguns sintomas e doenças, como também possui maior potencial terapêutico.

Quando acompanhado e prescrito por um médico responsável, podendo ser usado no tratamento de doenças como epilepsia, ansiedade, dor crônica, dores musculares e Mal de Parkinson.

Sob a forma de óleo, ele pode ser usado como suplemento alimentar, medicamento de uso tópico ou tratamento farmacológico para o alívio da dor crônica, a inflamação em doenças intestinais inflamatórias ou cutâneas, a ansiedade, a depressão ou a gravidade e frequência das convulsões em epilepsia refratária.

Além disso, utiliza-se para tratar sintomas de doenças neurológicas ou neuropsiquiátricas como a esclerose múltipla, o Alzheimer, o Parkinson ou a Esquizofrenia.

Junto com outro canabinoide muito estudado, como o THC, demonstrou induzir a morte de células cancerígenas in vitro e in vivo em modelos animais, inibindo a evolução do tumor.

Segundo Jesús de Santiago Moraga, médico especialista e coordenador do Grupo de Interesse em Canabinoides da Sociedade Española da Dor, os resultados em casos que vêm usando, certificam a viabilidade do tratamento à base da substância.

“Especificamente o medicamento à base de CBD demonstrou sua utilidade em casos de epilepsia refratária. A Canabis Medicinal no caso dos pacientes oncológicos tem evidência como antimético [redutor de vômito] para náuseas e vômitos por quimioterapia e para a espasticidade [distúrbio frequente nas lesões congênitas ou adquiridas do sistema nervoso central — cérebro ou medula espinhal —, que apresenta potencial incapacitante, podendo produzir dificuldades funcionais, deformidades e dor] em pacientes com esclerose múltipla”, afirma.

Sobre os outros benefícios do Canabidiol.

“Também melhora problemas transitórios do sono em diferentes condições, favorece o aumento de apetite e a prevenção da perda de peso em pacientes com HIV”, completa Moraga.

O CBD também pode ajudar a regular o ciclo sono-vigília, fazendo com que o sono seja mais profundo e revigorante.

A publicação científica The Permanente Journal indica que o CDB acalma o sistema nervoso central e possui capacidade de melhorar o descanso das pessoas que o utilizam como tratamento medicamentoso.

Um outro estudo, desta vez publicado pela revista Neurotherapeutics, aponta que os efeitos benéficos sobre a ansiedade de tomar doses de 300 mg e 600 mg de Canabidiol demonstrou redução da ansiedade e do medo, e poderia, portanto, ser utilizado como auxiliar das terapias cognitivo-comportamentais.

Uso do Canabidiol

O Uso do Canabidiol pode fazer referência a uma ampla variedade de preparados e produtos que podem conter princípios ativos diferentes e utilizar vias de administração distintas.

Por mais que tenha havido muitos avanços relacionados ao conhecimento sobre o CBD, ainda não são totalmente compreendidos os benefícios do Uso do CBD como substância destacada pelos efeitos terapêuticos.

Segundo o Observatório Europeu das Drogas e Toxicodependências, os dados dos ensaios clínicos controlados indicam que o Uso do Canabidiol aliviam os sintomas de algumas doenças.

Nestes casos, o Canabidiol costuma ser utilizado como tratamento complementar, o que significa que são adicionados a outros tratamentos médicos em vez de serem utilizados sozinhos.

Além disso, são normalmente adotados apenas quando um paciente não respondeu aos tratamentos recomendados para esses distúrbios.

Há pesquisas que demonstraram suas benfeitorias desde o ponto de vista clínico. Os especialistas têm destacado sua relação com o sistema imunológico.

Assim, foi demonstrado que, em algumas linhas celulares, o Canabidiol possui a capacidade de inibir a produção de citocinas [pequenas proteínas cruciais para o controle do crescimento e da atividade de outras células do sistema imunológico].

Estas comprovações relacionam diretamente o CBD com efeitos benéficos em doenças inflamatórias/autoimunes.

Assim, o Uso do CBD tem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, ansiolíticas e antipsicóticas.

Também há estudos que relacionam com o uso do Cannabis Medicinal com o alívio da dor crônica para tratar a epilepsia, melhorar os sintomas da Esclerose Múltipla, entre outras doenças que afetam de maneira crônica ao paciente.

Um ensaio com ratos demonstrou que um tratamento com o Uso do Canabidiol (tanto por via oral como intraperitonial) conseguiu bloquear a doença, paralisando, assim, sua progressão.

Estes efeitos estão vinculados com a atividade imunossupressora [diminuição gradual de resposta imunológica observada no curso de algumas doenças] e a propriedade anti-inflamatória do Uso do Canabidiol.

Em uma doença como o Câncer, o Uso do Canabidiol provoca um efeito sedativo na maioria dos casos e inibe a transmissão de sinais nervosos associados à dor.

O Uso do Canabidiol demonstrou reduzir o crescimento de células humanas de câncer de mama in vitro e in vivo em camundongos, além de diminuir seu caráter invasivo.

No caso dos cuidados paliativos de pacientes com câncer em fase terminal, o Uso do Canabidiol pode ser utilizado para controlar uma ampla variedade de sintomas comunicados, como dor, melhora do apetite, redução da ansiedade e melhora da qualidade do sono.

O Uso do Canabidiol pode tratar diversas doenças como Transtorno de Estresse Pós-Traumático, transtornos depressivos, transtornos do sono, tipos de dor crônica, transtornos neurológicos degenerativos e doenças inflamatórias intestinais, como a Doença de Crohn.

O Uso do Canabidiol apresenta amplo efeito antiepilético, eficiente para pacientes com crises convulsivas persistentes.

Em dezembro de 2014, o Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou o Uso do Canabidiol, de forma compassiva, para crianças e adolescentes portadoras de epilepsias refratárias aos tratamentos considerados convencionais.

A regulamentação determina, ainda, que os médicos prescritores estejam registrados em uma plataforma online e que os pacientes sejam acompanhados por relatórios recorrentes.

Um estudo publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association) apresentou que estados americanos que legalizaram o Uso do Canabidiol registraram redução da mortalidade por overdose de analgésicos opioides.

Esse resultado aponta que os canabinoides possam trazer contribuições para os problemas relacionados à saúde pública.

O CBD também foi inserido no universo esportivo. Os Jogos Olímpicos de Tóquio, disputados em 2021, foram os primeiros a ter permissão da Wada (Agência Internacional Antidoping) para o uso do Canabidiol pelos atletas.

Tratamento com Canabidiol

O Tratamento com Canabidiol demonstrou ter uma série de propriedades farmacológicas, como ação analgésica e imunossupressora, no tratamento de AVC, diabetes, náuseas, câncer e efeito sobre os transtornos de ansiedade, do sono e movimento.

Em dezembro de 2020, as propriedades medicinais proporcionadas pelo Tratamento com o cannabis medicinal foram reconhecidas oficialmente pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Segundo artigo publicado pelo Journal of Neurology & Neuromedicine, a eficácia do Tratamento com Canabidiol se explica em razão da estrutura química semelhante aos compostos químicos encontrados no organismo humano, que ajudam a regular apetite, memória, movimento e dor.

O Tratamento com Canabidiol possui um grande potencial terapêutico em razão de seus múltiplos benefícios, cuja tolerância, apresentada por pacientes de qualquer idade, e seu baixo risco de reações adversas, entre as quais podemos destacar dores de cabeça, alterações gastrointestinais, enjoos e sonolência.

No Reino Unido, o potencial oferecido pelo Tratamento com Canabidiol foi observado através dos efeitos terapêuticos em um paciente de 80 anos que tratava um câncer no pulmão.

Após o estudo, médicos do Hospital Geral de Watford concluíram que houve regressão de um tumor em uma mulher após passar pelo Tratamento com Canabidiol, tendo o uso de óleo de CBD como método.

O Tratamento com Canabidiol oferece uma alternativa para pacientes que não responderam aos tratamentos convencionais.

O Tratamento com Canabidiol aos sintomas de doenças neurológicas teve como base científica a descrição do sistema endocanabinoide.

Por isso, o Tratamento com Canabidiol tornou-se um medicamento promissor nos cuidados relativos a determinadas condições neurológicas porque o nosso corpo produz uma substância semelhante ao CBD, provocando uma série de eventos neurológicos.

Especialistas realizaram um pequeno estudo com pessoas acometidas com Psicose e encontraram que os pacientes que receberam Tratamento com Canabidiol tinham menor quantidade de sintomas que aqueles que só haviam recebido um placebo. A psicose se caracteriza por episódios de paranoia e alucinações.

Uma pesquisa publicada pelo American Journal of Psychiatry revelou que as pessoas que fizeram Tratamento com Canabidiol apresentaram mais indícios de melhora, segundo seus psiquiatras, e sinais de melhor desempenho e funcionamento cognitivo.

As formas mais comuns de Psicose são parte de transtornos mentais como a Esquizofrenia — que afeta mais de 21 milhões de pessoas no mundo — e o transtorno bipolar, mas os sintomas psicóticos também podem aparecer nos pacientes com Parkinson e problemas de abuso com álcool e drogas.

Cientistas do Instituto de Psiquiatria, Psicopatologia e Neurociência do King´s College, de Londres, supervisionaram 88 pacientes com Tratamento com Canabidiol ou placebo por seis semanas junto com a sua medicação antipsicótica habitual.

Os responsáveis pela pesquisa avaliaram, antes e depois do procedimento, os sintomas, funcionamento e desempenho cognitivo.

“O estudo indiciou que o CBD seria efetivo no tratamento da psicose: os pacientes tratados com CBD mostraram uma redução significativa nos sintomas e os seus psiquiatras tratantes observaram melhoras gerais neles”, disse Phillip McGuire, coautor do ensaio.

O especialista destacou que os pacientes também reportaram menos efeitos colaterais:

“Ainda que não esteja exatamente claro como funciona o CBD, atua de uma maneira diferente à medicação antipsicótica e poderia representar um novo método de tratamento”, completa.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.