fbpx
Estresse

Cannabis medicinal mostra eficácia no tratamento de estresse pós-traumático

Evidências científicas sugerem que o tratamento com Cannabis medicinal reduz gravidade dos sintomas do estresse pós-traumático, transtorno psicológico que provoca casos extremos de ansiedade, medo intenso, pânico e impotência  O que é estresse pós-traumático? O estresse pós-traumático pertence à categoria dos transtornos de ansiedade caracterizados pelo surgimento de um quadro clínico com sintomas de medo […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 5 de dezembro de 2021
cannabis medicinal para tratamento de estresse pós-traumático

Evidências científicas sugerem que o tratamento com Cannabis medicinal reduz gravidade dos sintomas do estresse pós-traumático, transtorno psicológico que provoca casos extremos de ansiedade, medo intenso, pânico e impotência 

O que é estresse pós-traumático?

O estresse pós-traumático pertence à categoria dos transtornos de ansiedade caracterizados pelo surgimento de um quadro clínico com sintomas de medo intenso, horror ou impotência. 

A experiência traumática pode ter sido vivida ou testemunhada após envolvimento com morte, ferimento, ameaça real à vida ou risco à integridade física da pessoa.

Segundo Maiara Pereira Cunha e Lucienne Martins Borges, pesquisadoras do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 6,5% da população brasileira sofre de estresse pós-traumático.

Pesquisas científicas puderam observar que desequilíbrios no sistema endocanabinoide — importante aliado na regulação e equilíbrio de diversos processos fisiológicos do corpo humano — estão relacionados diretamente ao desenvolvimento e sustentação de quadros deste distúrbio psicológico. 

Justamente por isso, há a possibilidade de que o organismo seja favorecido pelas propriedades terapêuticas do CBD (canabidiol) no combate dos seus sintomas.

Diante da disponibilidade e do aumento da procura pelo tratamento com Cannabis medicinal, há movimento entre pesquisadores para estudar sobre a possibilidade redução dos sintomas relacionados ao stress pós-traumático. 

Sintomas do estresse pós-traumático 

Os sintomas que identificam o estresse pós-traumático estão relacionados ao eixo experiência (vivenciamento), agitação, fuga (esquivamento) e alteração de humor. 

Sintomas de Vivenciamento

  •  Ter lembranças intensas da situação, o que provoca aumento do batimento cardíaco e transpiração excessiva
  • Ter pensamentos assustadores constantes
  •  Ter pesadelos frequentes

Sintomas de Agitação

  •  Sensação constante de tensão e nervosismo
  •  Dificuldade para dormir
  • Ser facilmente assustado
  • Ter explosões de raiva

Sintomas de Evitamento

  • Evitar ir a locais que lembram a situação traumática
  • Não utilizar objetos que estão relacionados ao evento traumático
  • Evitar pensar ou falar no que aconteceu durante o evento

Sintomas de Alteração de humor

  • Ter dificuldade para lembrar vários momentos da situação traumática
  • Sentir menos interesse por atividades agradáveis
  • Ter sentimentos distorcidos como sensação de culpa pelo que aconteceu
  • Ter pensamentos negativos sobre si próprio

Diagnóstico 

Antes mesmo de haver início do tratamento do stress pós-traumático, deve-se confirmar a existência do transtorno.

Por isso, o mais recomendável é procurar um psicólogo. Com a confirmação, caso seja necessário, o tratamento tradicional já pode ser iniciado. 

Estresse pós-traumático: tratamento tradicional 

O tratamento tradicional de stress pós-traumático sempre deve ser conduzido e avaliado por um psicólogo ou um psiquiatra.

A partir do diagnóstico, o tratamento pode ocorrer em duas frentes: psicoterapia e farmacoterapia.

Psicoterapia

Por meio de conversas e atividades didáticas, e sob a supervisão de um psicólogo ou um psiquiatra, as sessões psicoterápicas ajudam a compreender, descobrir e superar os medos desenvolvidos durante a experiência traumática.  

Farmacoterapia

Mesmo entre as pessoas que não possuem transtorno depressivo maior, a prescrição de antidepressivos é considerada o principal tratamento medicamentoso para quem sofre de stress pós-traumático.

Mirtazapina e Venlafaxina costumam ser os remédios recomendados com mais frequência.

Quando há sintomas de insônia e pesadelos durante o sono, o médico pode vir a receitar Olanzapina e Quetiapina — também usados como medicamentos antipsicóticos —, ou a Prazosina, adotada no tratamento de hipertensão arterial.

Tratamento com Cannabis Medicinal 

O uso do CBD no tratamento de estresse pós-traumático mobilizou a comunidade científica nos EUA.

Marcel Bonn-Miller, professor de Psicologia e Psiquiatria da Escola Perelman de Medicina da Universidade da Pensilvânia, defende o canabidiol como a substância que trará a eficácia necessária no tratamento deste transtorno. 

“Se você quer realmente tratar o stress pós-traumático, a maioria das evidências está apontando para o CBD.

No entanto, grande parte das pessoas com esse transtorno acaba optando por produtos com altos níveis de THC, o que pode ajudar no curto prazo, mas provavelmente irá piorar seus sintomas ao longo do tempo”, explica Bonn-Miller.

Na tentativa de levantar esta questão, Bonn-Miller atua ao lado de Sue Sisley, psiquiatra e ex-professora da Faculdade de Medicina da Universidade do Arizona.

A partir do uso de Cannabis fornecida pelo Governo dos EUA e um protocolo aprovado pela FDA (Food and Drug Administration — agência reguladora federal de alimentos e remédios), os dois lideram o primeiro teste de controle randomizado sobre a eficácia da Cannabis medicinal para o stress pós-traumático.

Houve análise de quatro linhagens diferentes de Cannabis em veteranos militares resistentes ao tratamento: um lote com alto teor de THC, outro com alto teor de CBD, uma mistura com concentrações iguais de THC e CBD e um controle de placebo. 

Sisley aponta que a insônia é uma característica marcante do stress pós-traumático, causada pelos pesadelos e flashbacks.

De acordo com a psiquiatra, se o tratamento com Cannabis medicinal ajudar os veteranos a atingir o sono reparador, já pode ser considerado um avanço.

“Até analisarmos todos os dados, não podemos tirar conclusões”, diz Sisley, referindo-se ao estudo do Arizona. “Mas posso dizer que tivemos quase 30 veteranos que completaram o protocolo de 10 semanas e o estudo está progredindo bem”, afirma.

A importância de um acompanhamento especializado 

Para garantir a eficácia do tratamento para estresse pós-traumático através da cannabis medicinal, é importante contar com um acompanhamento especializado de médicos experientes.

Com o Medicina In você encontra médicos com experiência  em cannabis e realizam um  acompanhamento personalizado  para proporcionar qualidade de vida e bem-estar. Faça a sua consulta on-line e tire todas as suas dúvidas sobre o tratamento, benefícios e como cuidar da sua saúde.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.