fbpx
Estresse

Cannabis medicinal pode trazer maior qualidade de vida no trabalho

Estudos realizados nos EUA identificam que as ausências por motivo de doença diminuíram após a legalização da Cannabis medicinal. Sinal claro da melhora da qualidade de vida no trabalho. O que é qualidade de vida no trabalho? O conceito de qualidade de vida, segundo a Organização Mundial da Saúde, fala sobre a “percepção do indivíduo […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 5 de dezembro de 2021
tratamento com cannabis medicinal melhora a qualidade de vida no trabalho

Estudos realizados nos EUA identificam que as ausências por motivo de doença diminuíram após a legalização da Cannabis medicinal. Sinal claro da melhora da qualidade de vida no trabalho.

O que é qualidade de vida no trabalho?

O conceito de qualidade de vida, segundo a Organização Mundial da Saúde, fala sobre a “percepção do indivíduo de sua inserção na vida, no contexto da cultura e  dos sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Além disso, esse conceito envolve o bem estar espiritual, físico, mental, psicológico e emocional de uma pessoa, além de relacionamentos sociais, como família e amigos e também suas condições de saúde, educação, habitação, saneamento básico e outras circunstâncias da vida.

No caso da qualidade de vida no trabalho (QVT), estamos falando de um conjunto de ações de uma empresa que envolve a implantação de melhorias e inovações gerenciais e tecnológicas no ambiente de trabalho que permitam maior satisfação, bem-estar e saúde aos seus trabalhadores, melhorando assim sua produtividade, desempenho e rentabilidade.

Contexto da qualidade de vida no trabalho na saúde pública

A qualidade de vida no trabalho é um assunto que deve ser abordado agora em razão da hiperconexão em toda a sociedade, e como este fenômeno se reflete nas relações trabalhistas. 

Diversos transtornos psicológicos vêm se tornando frequentes em meio a esse cenário de cobranças por produtividade, desempenho, e claro, resultados.

Situações de pressão e constrangimento diante de superiores e patrões fez com que trabalhadores desenvolvessem uma série de tipos de estresse, como estresse pós-traumático, estresse emocional, ansiedade e Burnout

Desde então, o paralelo entre as relações de trabalho e a saúde dos trabalhadores se tornou um ponto fundamental na gestão de recursos humanos. Os empregadores entendem que a qualidade de vida no trabalho está relacionada ao bom estado de saúde física e mental do funcionário. 

Cannabis Medicinal no contexto da qualidade de vida no trabalho

Diante do contexto da qualidade de vida no trabalho, o uso da Cannabis medicinal demonstra que pode trazer não somente benefícios à saúde daqueles que buscam melhores condições físicas e mentais, indispensáveis para haver bom desempenho profissional, mas também vantagens econômicas. 

Darin F. Ullman, economista da Universidade de Wisconsin, investigou o efeito causado no número de faltas de funcionários após a promulgação de leis liberando o uso da Cannabis Medicinal.

Uma boa quantidade de pesquisas já foi feita sobre o impacto agregado do uso ilícito de maconha na produtividade no local de trabalho. Geralmente, a pesquisa mais recente, reunida e resumida neste artigo publicado em 2014 pela Health Economics, indica que a maioria do uso de Cannabis tem pouco efeito na produtividade no local de trabalho, embora o uso crônico ou pesado da substância possa ser um problema.

Na internet, as evidências são confusas. “É simplesmente incerto se existem consequências negativas para o mercado de trabalho do uso de drogas em geral, e do uso de cannabis em particular”, conclui o documento.

No entanto, não houve muitas pesquisas sobre o impacto do uso lícito de Cannabis, particularmente o uso medicinal de Cannabis medicinal, no local de trabalho. Então, Ullman decidiu investigar o que acontece com o pedido de dias de folga por funcionários em Estados que legalizaram o uso dos princípios ativos da planta, conforme a Pesquisa da População Atual do Bureau of Labor Statistics (CPS, sigla em inglês para Secretaria de Estatísticas Trabalhistas).

Ullman examinou os dados de dias anteriores e posteriores a pedidos de folga por motivos de doença de 24 estados que tinham leis permitindo o tratamento com Cannabis medicinal na época de seu estudo. Ele descobriu que, em média, “os entrevistados tinham 8% menos chance de pedir folga no trabalho devido a problemas de saúde após a liberação do uso de Cannabis medicinal”. 

Os números da Secretaria de Estatísticas Trabalhistas também sugerem que os Estados com menos restrições ao uso de maconha medicinal, como o número de patologias para as quais ela poderia ser recomendada, tiveram uma redução maior no pedido de folgas por motivos de doença do que os Estados com regulamentações mais rígidas.

Agora, se você leu muito sobre esse tipo de pesquisa, provavelmente está esperando que uma advertência importante apareça aqui, e você está certo: apesar de confirmar que o número de pedido de folgas caiu após a liberação do uso de Cannabis medicinal, o estudo de Ullman não pode afirmar que essa diminuição seja causada diretamente pelo uso de derivados de Cannabis.

Há uma série de fatores que poderiam ter sido responsáveis ​​por uma queda na ausência de funcionários nos Estados que Ullman estudou: melhor acesso a cuidados de saúde, melhores programas de bem-estar no local de trabalho, melhoria da saúde geral dos funcionários etc. 

No entanto, Ullman observou que o efeito das leis foi mais forte para os trabalhadores de meia-idade e para os homens, os grupos com maior probabilidade de possuir cartões que permitem o uso de Cannabis medicinal

Isso, combinado ao efeito mais forte das leis nos Estados mais flexíveis, sugere que as próprias leis podem ser um impulsionador da redução de faltas verificada nos dados.

Ullman observa haver uma série de razões plausíveis para que isso aconteça. O tratamento com Cannabis medicinal pode permitir que “os indivíduos sintam alívio dos sintomas incapacitantes, diminuindo assim a necessidade de se afastar do trabalho”. 

Além disso, outros estudos mostraram que o consumo de álcool diminuiu após a liberação do uso de Cannabis medicinal. O consumo excessivo de álcool é um grande impulsionador de faltas no trabalho, logo, se a substância reduzir o consumo de álcool, também terá o efeito líquido de reduzir o problema apresentado.

“Os resultados deste documento sugerem que a liberação do uso de Cannabis medicinal foi benéfica aos empregadores, pois reduziram os pedidos de folga no trabalho devido a doenças/problemas médicos”, conclui Ullman.

A importância de um acompanhamento especializado 

Para garantir a eficácia do tratamento com cannabis medicinal para melhorar a qualidade de vida, é importante contar com um acompanhamento especializado de médicos experientes. Com a Medicina In você encontra médicos com experiência  em cannabis e realizam um  acompanhamento personalizado para proporcionar qualidade de vida e bem-estar. Faça a sua consulta on-line e tire todas as suas dúvidas sobre o tratamento, benefícios e como cuidar da sua saúde.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.