fbpx
Canabidiol

Criança pode tomar canabidiol? Entenda como funciona o tratamento

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 25 de outubro de 2023
canabidiol para crianças

Nos últimos anos, o uso do canabidiol (CBD), um composto da planta de cannabis, tem ganhado atenção crescente no tratamento de diversos distúrbios de saúde, inclusive em crianças. Embora muitas pesquisas e relatos de casos tenham apontado para o potencial terapêutico do CBD, surgiram questões e mitos relacionados ao seu uso em crianças. 

Neste artigo, exploramos o uso do CBD em crianças, esclarecendo dúvidas comuns e destacando os benefícios e limitações.

O Canabidiol (CBD) pode dar “barato” em crianças?

Um dos equívocos mais comuns sobre o CBD é a associação com o “barato” ou efeitos psicoativos que são normalmente atribuídos ao THC (tetraidrocanabinol), outro composto da cannabis. 

No entanto, o CBD não causa efeitos psicoativos, e seu uso não leva as crianças a um estado de intoxicação. É fundamental garantir que os produtos de canabidiol para crianças sejam isentos de THC ou contenham apenas traços insignificantes do composto psicoativo.

Existe alguma contraindicação do canabidiol para crianças?

Em geral, o CBD é considerado seguro para a maioria das crianças quando administrado adequadamente e sob a supervisão de um profissional de saúde. No entanto, existem situações em que o uso do CBD pode não ser apropriado para crianças, como em casos de alergias ao composto ou a outros ingredientes dos produtos de CBD. 

Além disso, é crucial discutir o uso do CBD com um médico antes de iniciar o tratamento, especialmente se a criança estiver tomando outros medicamentos ou tiver condições de saúde subjacentes.

O que o CBD pode tratar em crianças?

O canabidiol tem demonstrado potencial em ajudar a tratar diversas condições de saúde em crianças, incluindo:

  • Epilepsia: O Canabidiol (CBD) é mais notável por seu sucesso no tratamento de certos tipos de epilepsia, como a síndrome de Dravet e a síndrome de Lennox-Gastaut, que são resistentes a outros tratamentos. O Canabidiol (CBD) pode ajudar a reduzir a frequência e a gravidade das convulsões.
  • Ansiedade e Transtornos do Espectro Autista (TEA): Algumas evidências sugerem que o CBD pode ajudar a reduzir a ansiedade e os sintomas associados ao TEA, como hiperatividade e agressividade.
  • Dor e Inflamação: Em casos de dor crônica ou inflamação devido a condições médicas, o CBD pode oferecer alívio, minimizando a necessidade de analgésicos potencialmente viciantes.
  • Distúrbios do sono: O Canabidiol (CBD) tem sido usado para melhorar a qualidade do sono em crianças que sofrem de insônia ou outros distúrbios do sono.
  • Transtornos gastrointestinais: O Canabidiol (CBD) pode ajudar a aliviar sintomas de doenças inflamatórias intestinais (DII) e síndrome do intestino irritável (SII) em crianças.

Leia mais: Onde comprar canabidiol

Entenda como o canabidiol age no tratamento de crianças com algumas condições específicas

Canabidiol (CBD) para crianças: Autismo

Estudo realizado pelo Departamento de Ciências Fisiológicas do Instituto de Ciências Biológicas, da Universidade de Brasília (UnB), com médicos da Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (Ama+me), comprovou a eficácia no uso de Canabidiol (CBD) para crianças com autismo.

Os pesquisadores acompanharam 18 pacientes autistas, com faixa etária entre 6 e 17 anos, durante nove meses, para observar os efeitos trazidos pelo tratamento com Cannabis medicinal. Entre os participantes, seis deles sofriam com crises epiléticas.

Desse grupo, 78% dos pacientes apresentaram melhoras dos principais sintomas relacionados ao Autismo. Segundo Renato Malcher-Lopes, neurocientista e um dos professores da UnB envolvidos na pesquisa, os resultados podem ser considerados animadores. 

“Os resultados mais impactantes foram a redução da hiperatividade, do deficit de atenção e das crises nervosas, que muitas vezes envolvem auto agressividade, além de melhora na qualidade do sono e da interação social, o que permitiu para alguns ter ganhos cognitivos”, conta.

Publicado na edição de outubro de 2019 pela revista Frontiers in Neurology, reconhecida como um dos periódicos de livre acesso mais prestigiados da área de Neurologia, o estudo recebeu em apenas dois meses mais acessos do que 90% dos artigos já editados pela revista.

Médicos que prescrevem canabidiol
Médicos que prescrevem canabidiol

A pesquisa, realizada entre 2016 e 2017, baseou-se nas impressões deixadas pelos pais quanto à mudança de comportamento dos seus filhos após a adoção do tratamento.

Todos eles foram convidados a preencher mensalmente o formulário destinado a apontar o percentual de evolução em oito categorias de sintomas do Autismo: hiperatividade e déficit de atenção; transtornos comportamentais; déficit motor; déficit de autonomia; déficit de comunicação e interação social; problemas cognitivos; distúrbio do sono e convulsões.

Entre os resultados, houve destaque para nove pacientes que tiveram impactos positivos de mais de 30% em ao menos um traço do transtorno, enquanto seis apresentaram a mesma porcentagem de melhora em duas ou mais categorias.

De acordo com a UnB, todos os pacientes receberam a mesma composição, importada dos Estados Unidos, sob autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O extrato era composto pela proporção de 75 partes de Canabidiol (CBD) para uma de THC, outra substância encontrada na planta Cannabis sativa.

O Canabidiol já possui referência em diversos estudos em razão de seu caráter terapêutico. O THC, por sua vez, é o principal componente psicoativo da Cannabis. No entanto, o trabalho comprovou que a combinação dos dois compostos trouxe benefícios importantes para os pacientes autistas.

Além disso, Malcher-Lopes destaca que grande parte dos participantes, com bons resultados, conseguiu reduzir ou até eliminar o uso de outros remédios com o objetivo de controlar os sintomas.

Leia mais: Canabidiol Preço

Canabidiol (CBD) para crianças: Epilepsia

Publicado em 2013 pela revista médica Epilepsy & Behavior, um estudo obteve informação pesquisando 19 pais cujos filhos haviam sido diagnosticados com Epilepsia e atualmente estavam consumindo uma forma de Cannabis rica em Canabidiol (CBD).

Dos participantes, 84% deles puderam observar uma redução na frequência dos ataques epiléticos dos filhos ao consumir Canabidiol. Dois dos participantes (11%) informaram que os filhos já não sofrem ataques, enquanto que oito deles (42%) observam uma redução de 80% nos ataques.

Publicado pela New England Journal of Medicine, em 2017, outro estudo com crianças acometidas pela Epilepsia, com idades entre 2 e 18 anos, foi dividido em um grupo ao qual administraram uma solução oral com Canabidiol (CBD) para crianças, enquanto outro recebeu um placebo.

O experimento durou 14 semanas e tinha como objeto de estudo pacientes que sofriam entre 4 e 1.717 ataques epiléticos por mês. Segundo as conclusões do ensaio, no caso do grupo com Canabidiol (CBD), a frequência mensal média dos ataques foi reduzida em 23 pontos percentuais em comparação ao grupo que recebeu placebo.

Entre os 120 participantes, cinco crianças não sofreram nenhum ataque durante as 14 semanas de pesquisa. Considerando que, até aquele momento, havia apenas alguns poucos estudos conclusivos sobre o tema.

Saiba mais: efeitos colaterais do canabidiol

Segurança do uso de Canabidiol  para crianças

O fato de o Canabidiol (CBD) não ter propriedades psicoativas o colocou como uma opção viável para crianças com certas doenças. A substância influi em vários processos fisiológicos, sem alterar a mente da criança, razão pela qual muitos adultos também recorrem ao Canabidiol (CBD) para controlar sintomas de diversas patologias. 

Um estudo publicado pela revista Epilepsia, em 2018, analisa a segurança do Canabidiol (CBD) no longo prazo em um grupo de 607 pessoas, formado por adultos e crianças. A pesquisa aponta que o Canabidiol parece ser seguro para os mais jovens.

Com duração de 48 semanas, o tratamento teve a dose média aplicada de 25mg de Canabidiol (CBD). A dose adicional reduziu as crises convulsivas mensais médias em 51% e as crises totais em 48%, em 12 semanas. As reduções apresentaram semelhanças ao longo de 96 semanas.

A proporção de pacientes com reduções ≥ 50%, ≥ 75% e 100%, nas crises convulsivas, foi de 52%, 31% e 11%, respectivamente, em 12 semanas, com taxas semelhantes em 96 semanas. Portanto, o Canabidiol foi bem tolerado.

Tudo sobre canabidiol

A importância de um acompanhamento especializado 

Para garantir a eficácia do Canabidiol (CBD) para crianças no tratamento para autismo através da cannabis medicinal, é importante contar com um acompanhamento especializado de médicos experientes em canabidiol. Com o Medicina In você encontra médicos com experiência  em cannabis e realizam um  acompanhamento personalizado para proporcionar qualidade de vida e bem-estar. 

Faça a sua consulta on-line e tire todas as suas dúvidas sobre o tratamento, benefícios e como cuidar da sua saúde.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Posso ajudar?