fbpx
Dores

Tratamento com Cannabis medicinal alivia dor neuropática

Efeitos analgésicos presentes no Canabidiol auxiliam na redução da dor que ocorre como consequência direta de uma doença ou lesão que afeta as terminações sensíveis dos sistema nervoso central e/ou periférico (dor neuropática). O que é dor neuropática? A dor neuropática pode ser definida como a dor resultante de uma lesão ou inflamação no sistema […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 5 de dezembro de 2021
tratamento com cannabis medicinal para dor neuropática

Efeitos analgésicos presentes no Canabidiol auxiliam na redução da dor que ocorre como consequência direta de uma doença ou lesão que afeta as terminações sensíveis dos sistema nervoso central e/ou periférico (dor neuropática).

O que é dor neuropática?

A dor neuropática pode ser definida como a dor resultante de uma lesão ou inflamação no sistema nervoso, que podem ser causadas por infecções, doenças, traumas, Diabetes mellitus e Alcoolismo e deficiência nutritiva. 

Fonte de intenso desgaste psicológico para os pacientes, esse tipo de dor provoca dores constantes, queimação, choques, formigamento ou adormecimento.

O tratamento deve ter como objetivo controlar a dor, garantindo bem-estar e qualidade de vida com a realização das atividades diárias, melhorar o sono, aumentar a produtividade no trabalho e, consequentemente, a autoestima daqueles que sofrem com a doença.

Devido à baixa eficácia demonstrada pelas medicações tradicionais, e também aos resultados promissores apresentados pelos estudos relacionados ao tratamento com Cannabis medicinal, os efeitos analgésicos do CBD surgem como uma esperança mais eficaz no combate ao sofrimento físico e emocional. 

Causas da dor neuropática

  • Alcoolismo ou deficiência nutritiva, que afetam a função nervosa de forma considerável
  • Diabetes mellitus, que prejudica especialmente os membros, provocando neuropatia diabética periférica
  • Problemas nos nervos faciais
  • Problemas de tireoide
  • Infecções bacterianas ou virais, como sífilis, herpes ou AIDS, que, pela liberação de toxinas, podem causar danos aos nervos
  • Traumas na medula espinhal causados por acidentes, fraturas ou cirurgias
  • Amputação de um membro, onde surge uma dor relacionada ao órgão extraído, conhecida por “dor do membro fantasma

Tipos de dor neuropática

  • Mononeuropatia: caso de dor bem localizada, que ocorre quando apenas um trajeto nervoso está prejudicado pela doença, afetando um lado do corpo ou da região — pode ser do tórax, da face. Ocasionalmente, pode estar envolvido mais de um nervo, provocando dores em mais de uma parte do corpo (também conhecida como mononeuropatia múltipla). 
  • Polineuropatia: caso em que vários nervos estão modificados ou danificados, fazendo com que a dor ocorra de modo generalizado, podendo, por exemplo, surgir no tronco, braços e pernas simultaneamente.

Tratamento tradicional 

A dor neuropática deve ser tratada conforme a doença que a causa.

Sempre sob acompanhamento médico, o objetivo pode variar: tratar o nervo; a doença que provoca a lesão indiretamente; a dor que tem as lesões como origem; ou apenas a busca pelo alívio da sensação dolorosa.

Considerada curável, a neuropatia possui diagnóstico que visa a possibilidade de livrar o paciente do sofrimento ou, nos casos em que não haja tal condição, ao menos aliviar seus sintomas.  

A depender do caso, uma variedade de medicamentos pode ser recomendada para que o sofrimento seja contido: 

Anticonvulsionantes: reduzem a atividade elétrica dos nervos ou impedem a dor em determinadas localizações nervosas.

Anestésicos: contém a sensação de dor a partir da diminuição da atividade elétrica dos nervos.

Antidepressivos: produz estímulos em partes do sistema nervoso que inibem a transmissão das dores, além de atuar na depressão, que costuma acompanhar a neuropatia ou qualquer transtorno durante a fase crônica. 

Deve ser considerado que as medicações apresentam geralmente resultados de melhora após duas ou três semanas de tratamento, após revisões acompanhadas de ajustes gradativos das dosagens consumidas. 

Sonolência, tonturas, sensação de cabeça vazia e boca seca são os efeitos colaterais manifestados — geralmente cedem após três ou quatro dias. 

Fisioterapia, terapia ocupacional e o uso de estímulos elétricos e térmicos também podem contribuir para melhorar a capacidade física e auxiliar o indivíduo a ganhar funcionalidade.

Para alguns tipos específicos de dor neuropática, como nos casos mais graves, o médico pode recomendar alguma intervenção cirúrgica no nervo, na medula espinhal ou até mesmo no cérebro.

Você vem sofrendo com um ou alguns desses sintomas? Faça uma consulta 100% online com um médico especializado em Cannabis medicinal clicando aqui. 

Dor neuropática: Tratamento com Cannabis medicinal 

Publicado em 2020 no periódico Current Pharmaceutical Biotechnology, um estudo mediu e comprovar os efeitos provocados pelo uso do canabidiol (CBD), sob a forma de óleo, no tratamento da dor neuropática

Ao todo, 29 pacientes com neuropatia periférica participaram voluntariamente da pesquisa, dos quais 15 foram randomizados para o grupo com tratamento à base de canabidiol (250 mg), enquanto 14 foram randomizados no grupo tratado com placebo, o qual, após quatro semanas, passa para o tratamento com CBD. 

Para que houvesse uma avaliação precisa da mudança média da sensação de dor desde o início até o final do tratamento, a Escala de Dor Neuropática foi administrada a cada 15 dias. 

Com média de idade de 68 anos, a população analisada pelo estudo incluiu 62,1% do sexo masculino (18 pacientes) e 37,9% dos sexo feminino (11 pacientes). Os resultados apresentaram redução significativa na dor intensa, na dor aguda, sensação de frio e coceira no grupo que recebeu tratamento com canabidiol em comparação com os pacientes tratados com placebo. Nenhum efeito adverso foi relatado ao longo da pesquisa. 

Os pesquisadores concluíram que a aplicação do óleo de CBD pode produzir melhora tanto na dor, como em outras sensações causadas por perturbações características em pacientes com neuropatia periférica. 

Conforme o artigo, o produto aplicado durante o tratamento demonstrou boa tolerância, como também pode fornecer uma alternativa mais eficiente em comparação a outras formas de tratamento da dor neuropática.

A importância de um acompanhamento especializado 

Para garantir a eficácia do tratamento para dor neuropática através da cannabis medicinal, é importante contar com um acompanhamento especializado de médicos experientes.

Com o Medicina In você encontra médicos com experiência  em cannabis e realizam um  acompanhamento personalizado   para proporcionar qualidade de vida e bem-estar.

Faça a sua consulta on-line e tire todas as suas dúvidas sobre o tratamento, benefícios e como cuidar da sua saúde.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.