fbpx
Canabidiol

Canabidiol e Rivotril: Guia completo

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 8 de março de 2024
Pessoa dependente do rivotril conversando com médico online

Nesse guia você vai encontrar:

  • O que não pode ser misturado com Rivotril?
  • Qual o melhor remédio para substituir o Rivotril?
  • Quem toma antidepressivo pode tomar canabidiol?
  • Quais medicamentos interagem com Rivotril?
  • Como se livrar da dependência do Rivotril?
  • Como funcionas o desmame de Rivotril com canabidiol?

O Canabidiol (CBD) e o Rivotril, também conhecido como Clonazepam são medicamentos comumente utilizados para tratar a ansiedade e outros distúrbios neurológicos.

Apesar de compartilharem algumas indicações terapêuticas, possuem diferenças importantes em seus mecanismos de ação, efeitos colaterais e contraindicações.

Mas antes de continuarmos, é importante que você esteja na mesma página.

Você sabe o que é canabidiol (CBD)?

O CBD é um composto natural extraído da planta Cannabis sativa, popularmente conhecida como maconha. Ao contrário do THC, outro componente da planta, o CBD não possui efeitos psicoativos, não causa “sensação de estar chapado”.

E o que é o Rivotril (Clonazepam)?

O Rivotril é um medicamento benzodiazepínico prescrito para o tratamento de ansiedade, epilepsia e distúrbios do sono. Atua no sistema nervoso central, aumentando a ação de um neurotransmissor inibitório chamado GABA, o que resulta em um efeito calmante e sedativo.

Importante: tanto o Canabidiol (CBD), quanto o Rivotril tem ação no sistema nervoso central.

Indicações terapêuticas:

  • Ansiedade: Tanto o CBD quanto o Rivotril podem ser eficazes no tratamento da ansiedade generalizada, transtorno do pânico e transtorno de ansiedade social.
  • Epilepsia: O Rivotril é um medicamento anticonvulsivante utilizado para controlar convulsões em pessoas com epilepsia. O CBD também apresenta potencial terapêutico para epilepsia, especialmente em casos refratários a outros tratamentos.
  • Insônia: O Rivotril pode ser prescrito para o tratamento de insônia a curto prazo. O CBD também pode ajudar a melhorar a qualidade do sono, mas seus efeitos ainda estão sendo estudados.
  • Dores crônicas: O CBD pode ser útil no alívio de dores crônicas, especialmente neuropatias e dores inflamatórias.
  • Outros: O CBD também está sendo estudado para o tratamento de diversas outras condições, como esclerose múltipla, Alzheimer, Parkinson, doenças inflamatórias intestinais e autismo.

Diferença do Canabidiol x Rivotril

  • Canabidiol: O CBD interage com diversos sistemas do corpo humano, incluindo o sistema endocanabinoide, o sistema nervoso central e o sistema imunológico. Seus efeitos terapêuticos são resultado de várias ações, como a redução da inflamação, a modulação da atividade neuronal e a proteção das células contra o estresse oxidativo.
  • Rivotril: O Rivotril aumenta a ação do neurotransmissor GABA no sistema nervoso central. Isso resulta em um efeito calmante e sedativo, que ajuda a reduzir a ansiedade e controlar as convulsões.

Quais os efeitos colaterais do Rivotril e do Canabidiol (CBD)?

  • Canabidiol (CBD): O CBD é geralmente bem tolerado, com poucos efeitos colaterais. Os efeitos colaterais mais comuns são sonolência, boca seca, diarreia e fadiga.
  • Rivotril: O Rivotril pode causar diversos efeitos colaterais, como sonolência, sedação, fadiga, tontura, problemas de coordenação motora, dificuldade de concentração e memória. Em casos raros, pode causar reações alérgicas, depressão e pensamentos suicidas.

Quais as contraindicações do Canabidiol (CBD) e do Rivotril?

  • Canabidiol (CBD): O CBD é contraindicado para mulheres grávidas ou amamentando, e para pessoas com alergia a algum componente do produto. Também é importante ter cautela ao usar CBD com outros medicamentos, pois pode haver interações medicamentosas.
  • Rivotril: O Rivotril é contraindicado para pessoas com glaucoma, miastenia grave, apneia do sono, insuficiência respiratória grave e hipersensibilidade ao clonazepam ou a outros benzodiazepínicos. Também é contraindicado durante a gravidez e amamentação.

Qual é melhor Rivotril ou Canabidiol (CBD)?

A escolha entre o Canabidiol (CBD) e o Rivotril depende de diversos fatores, como a gravidade da condição a ser tratada, os efeitos colaterais de cada medicamento, as interações medicamentosas e as preferências individuais.

É importante conversar com um médico para determinar qual medicamento é mais adequado para cada caso. O médico poderá avaliar a condição do paciente, os outros medicamentos que ele está tomando e os riscos e benefícios de cada tratamento.

Algumas considerações importantes:

  • Pesquisa científica: A pesquisa científica sobre o CBD ainda está em desenvolvimento, mas os resultados até agora são promissores. Mais estudos são necessários para confirmar a segurança e a eficácia do CBD para diversas condições.
  • Regulamentação: A regulamentação do CBD varia de país para país. No Brasil, o CBD é legalizado para uso medicinal por meio de uma receita médica.

Exemplos de situações em que a substituição pode ser considerada:

  • Pacientes que apresentam efeitos colaterais intensos com o Rivotril
  • Pacientes que não obtiveram resultados satisfatórios com o Rivotril
  • Pacientes que desejam uma abordagem mais holística para o tratamento
  • Pacientes que desejam reduzir a dosagem de outros medicamentos

O que não pode ser misturado com Rivotril?

O Rivotril (clonazepam) não deve ser misturado com álcool, depressores do sistema nervoso central, antiácidos, ervas como kava, valeriana, erva-de-são-joão e suco de toranja. Sempre consulte um médico.

Rivotril e álcool

1. Álcool: O álcool potencializa os efeitos sedativos do Rivotril, podendo levar a sonolência excessiva, dificuldade de coordenação motora, problemas de respiração e até mesmo coma.

Outras substâncias que não podem ser misturadas com Rivotril

2. Depressores do sistema nervoso central (SNC): Outros medicamentos que atuam no SNC, como antidepressivos, antipsicóticos, analgésicos opioides e relaxantes musculares, podem aumentar os efeitos do Rivotril e causar efeitos colaterais graves.

3. Antiácidos: Antiácidos que contêm alumínio ou magnésio podem reduzir a absorção do Rivotril, diminuindo sua eficácia.

4. Ervas e suplementos: Algumas ervas e suplementos, como kava, valeriana e erva-de-são-joão, podem ter efeitos sedativos semelhantes ao Rivotril e aumentar o risco de efeitos colaterais.

5. Suco de toranja: O suco de toranja pode aumentar os níveis de Rivotril no sangue, aumentando o risco de efeitos colaterais.

É importante informar ao seu médico todos os medicamentos, ervas e suplementos que você está tomando antes de iniciar o tratamento com Rivotril.

Outras precauções:

  • Não dirija ou opere máquinas enquanto estiver usando Rivotril.
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas enquanto estiver usando Rivotril.
  • Tenha cuidado ao aumentar ou diminuir a dose de Rivotril.
  • Não pare de tomar Rivotril sem orientação médica.

Se você tiver dúvidas sobre o que pode ou não ser misturado com Rivotril, consulte seu médico ou farmacêutico.

Informações adicionais:

Qual o melhor remédio para substituir o Rivotril?

Não existe um “melhor remédio” universal para substituir o Rivotril, pois a escolha depende de diversos fatores:

1. Condição a ser tratada: O Rivotril é utilizado para diversas condições, como ansiedade, epilepsia e distúrbios do sono. A escolha do substituto dependerá da condição específica que está sendo tratada.

2. Perfil individual: Cada pessoa responde de maneira diferente aos medicamentos. O que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.

3. Efeitos colaterais: Cada medicamento possui seus próprios efeitos colaterais. É importante escolher um substituto com efeitos colaterais toleráveis para o paciente. O canabidiol tem sido escolhido por milhões de pacientes no mundo todo como um possível substituto ao Rivotril, sem todos os efeitos colaterais.

4. Interações medicamentosas: É importante considerar as interações medicamentosas com outros medicamentos que o paciente esteja tomando.

5. Preferências individuais: Algumas pessoas preferem medicamentos naturais, enquanto outras preferem medicamentos tradicionais.

Lembre-se:

  • É importante não parar de tomar Rivotril sem orientação médica.
  • A mudança de medicação deve ser feita de forma gradual e supervisionada por um médico especialista. Principalmente se você irá tentar realizar o desmame com canabidiol.
  • Existem diversas opções de tratamento para a ansiedade e outras condições que podem ser eficazes sem o uso do Rivotril.

Quem toma antidepressivo pode tomar canabidiol?

Sim, quem toma antidepressivo pode tomar canabidiol (CBD). Se você toma antidepressivo e está pensando em tomar CBD, é importante conversar com seu médico antes de iniciar qualquer tratamento. Seu médico poderá avaliar os riscos e benefícios do CBD para o seu caso específico e orientá-lo sobre a dosagem adequada.

Como se livrar da dependência do Rivotril e iniciar o canabidiol??

1. Converse com seu médico: O primeiro passo é conversar com seu médico sobre a sua dependência do Rivotril. Ele poderá avaliar o seu caso e determinar o melhor tratamento para você. Agende uma consulta com um médico que prescreve canabidiol.

2. Redução gradual da dose: A redução da dose do Rivotril deve ser feita de forma gradual e supervisionada por um médico. A redução abrupta da dose pode causar sintomas de abstinência, como ansiedade, insônia, tremores e convulsões.

3. Terapia: A terapia, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC), pode ajudar você a lidar com os sintomas da ansiedade e da dependência do Rivotril. A TCC pode te ensinar técnicas para controlar a ansiedade e evitar recaídas.

4. Grupos de apoio: Grupos de apoio para pessoas com dependência de benzodiazepínicos podem ser uma fonte de informação e apoio. Nesses grupos, você pode compartilhar suas experiências com outras pessoas que estão passando pelo mesmo processo.

5. Mudanças no estilo de vida: Mudanças no estilo de vida, como exercícios físicos regulares, uma dieta saudável e técnicas de relaxamento, podem ajudar você a lidar com a ansiedade e melhorar a qualidade do sono.

Lembre-se:

  • Livrar-se da dependência do Rivotril é um processo que leva tempo e exige esforço.
  • É importante ter o apoio de um médico, psicólogo e familiares durante o tratamento.
  • Não tente parar de tomar Rivotril por conta própria.
  • Procure ajuda profissional se você estiver com dificuldade para se livrar da dependência do Rivotril.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Posso ajudar?