fbpx
Canabidiol

Canabidiol e problemas de Tireóide: O que dizem as pesquisas

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 9 de junho de 2023

Existem algumas pesquisas sobre o uso de canabidiol (CBD) e seus possíveis efeitos na tireoide.

No entanto, é importante ressaltar que a pesquisa nessa área é limitada e em grande parte preliminar.

O que é Tireóide?

A tireoide é uma glândula localizada na parte frontal do pescoço e desempenha um papel fundamental na regulação do metabolismo. Algumas condições relacionadas à tireoide incluem hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônios tireoidianos) e hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios tireoidianos).

O que dizem os estudos e pesquisas?

Alguns estudos iniciais sugeriram que o CBD poderia influenciar a função tireoidiana, mas as evidências são limitadas.

Um estudo de 2015 publicado na revista “Endocrine” investigou os efeitos do CBD em ratos com tireoidite autoimune. Os resultados mostraram que o CBD pode ter um efeito imunomodulador, reduzindo a inflamação da tireoide.

No entanto, esses achados são preliminares e mais pesquisas são necessárias para confirmar e compreender melhor essa relação.

Além disso, o CBD também foi investigado em relação aos sintomas de ansiedade e insônia, que podem ser associados a distúrbios da tireoide.

Estudos têm sugerido que o CBD pode ter propriedades ansiolíticas e promover um sono mais tranquilo. No entanto, é importante ressaltar que esses estudos não estão diretamente relacionados aos distúrbios da tireoide, mas sim aos sintomas associados a eles.

Como sempre, é fundamental consultar um profissional de saúde antes de iniciar qualquer tratamento, especialmente quando se trata de questões relacionadas à tireoide. Um médico especialista poderá fornecer orientações adequadas e baseadas em evidências, levando em consideração o seu histórico médico e as condições específicas da tireoide.

O que é o canabidiol?

O canabidiol (CBD) é um composto químico encontrado na planta de cannabis, que inclui a planta de maconha e o cânhamo. É um dos muitos canabinoides presentes na planta, juntamente com o tetra-hidrocanabinol (THC), que é responsável pelos efeitos psicoativos associados ao consumo de maconha.

Ao contrário do THC, o CBD não produz efeitos psicoativos significativos, o que significa que não causa a sensação de “estar chapado” geralmente associada ao uso de maconha. Em vez disso, o CBD tem sido objeto de estudos e pesquisas devido às suas potenciais propriedades terapêuticas.

Médicos que prescrevem canabidiol
Médicos que prescrevem canabidiol

O Canabidiol (CBD) interage com o sistema endocanabinoide do corpo humano, que desempenha um papel na regulação de diversas funções fisiológicas, como o sono, o apetite, a dor e a resposta imunológica. Acredita-se que o CBD possa ter efeitos anti-inflamatórios, analgésicos, ansiolíticos e neuroprotetores, entre outros.

O Canabidiol (CBD) está disponível em várias formas, incluindo óleos, tinturas, cápsulas, cremes tópicos e até mesmo produtos comestíveis, como gomas de mascar. Nos últimos anos, o CBD tem ganhado popularidade como um suplemento natural e tem sido utilizado por pessoas para ajudar a aliviar sintomas de condições como ansiedade, dor crônica, epilepsia, insônia e inflamação.

No entanto, é importante ressaltar que a pesquisa sobre o CBD ainda está em estágios iniciais, e muitas das alegações sobre seus benefícios para a saúde ainda precisam ser comprovadas por estudos clínicos mais rigorosos. Sempre é recomendado consultar um profissional de saúde antes de iniciar o uso de produtos de CBD, especialmente se você estiver tomando outros medicamentos ou tiver condições médicas pré-existentes.

Efeitos colaterais do canabidiol

Embora o canabidiol (CBD) seja geralmente considerado seguro para a maioria das pessoas, é importante estar ciente de que podem ocorrer alguns efeitos colaterais. No entanto, é importante notar que os efeitos colaterais do CBD são geralmente leves e bem tolerados. A seguir, estão alguns dos possíveis efeitos colaterais relatados:

  1. Fadiga: Algumas pessoas podem experimentar fadiga ou sonolência após o uso de CBD, especialmente em doses mais altas. Essa sensação de cansaço pode afetar a capacidade de concentração e a coordenação motora.
  2. Boca seca: O Canabidiol (CBD) pode causar uma sensação de boca seca, também conhecida como xerostomia. Isso pode ser aliviado com a ingestão de líquidos e mantendo-se hidratado.
  3. Alterações no apetite: Algumas pessoas podem experimentar alterações no apetite ao tomar CBD. Pode ocorrer aumento ou diminuição do apetite, embora isso possa variar de pessoa para pessoa.
  4. Tontura: Em algumas situações, o CBD pode causar tontura ou vertigem. Isso pode ocorrer principalmente quando doses elevadas são administradas.
  5. Alterações gastrointestinais: Em casos raros, o CBD pode causar sintomas gastrointestinais leves, como náuseas, diarreia ou desconforto abdominal.

É importante lembrar que cada pessoa pode reagir de forma diferente ao CBD, e os efeitos colaterais podem variar. Além disso, é crucial adquirir produtos de CBD de fontes confiáveis e respeitáveis, pois a qualidade e a composição dos produtos podem variar significativamente.

Se você estiver considerando o uso de CBD e tiver preocupações sobre os efeitos colaterais ou possíveis interações com outros medicamentos que esteja tomando, é sempre recomendado consultar um profissional de saúde qualificado, como um médico ou farmacêutico, para obter orientações personalizadas e adequadas ao seu caso específico.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Posso ajudar?