fbpx
Tudo sobre CBD

InCor realiza duas pesquisas inéditas com CBD

O InCor (Instituto do Coração), do Hospital das Clínicas, anunciou que realizará duas pesquisas inéditas com CBD (Canabidiol, substância derivada da Cannabis). Elas devem começar em breve e colocam o país em evidência entre os pesquisadores internacionais. Centro de referência no país, o InCor realiza duas pesquisas com CBD, para síndrome pós-covid e de insuficiência […]

Conteúdo escrito e revisado
Medicina In Comitê Científico, atualizado em 22 de novembro de 2021
incor-pesquisa-cbd

O InCor (Instituto do Coração), do Hospital das Clínicas, anunciou que realizará duas pesquisas inéditas com CBD (Canabidiol, substância derivada da Cannabis). Elas devem começar em breve e colocam o país em evidência entre os pesquisadores internacionais.

Centro de referência no país, o InCor realiza duas pesquisas com CBD, para síndrome pós-covid e de insuficiência cardíaca.

A primeira, sobre o tratamento de pacientes com insuficiência cardíaca, já está na fase de seleção dos candidatos. A segunda ainda não saiu do papel, mas pretende analisar o tratamento da síndrome pós-covid.

Estamos falando de duas doenças, que já são tratadas com CBD em alguns consultórios médicos. Isso porque existem indícios anteriores da eficiência da substância em vários dos sintomas. O estudo clínico fará o link direto para as doenças relatadas e analisarão o grau de eficiência.

O que é a síndrome pós-covid ou covid longa

A síndrome pós-covid é uma doença nova, que surgiu com a pandemia do coronavírus. Conhecida também como “covid longa”, ela se manifesta depois da cura. Em outras palavras, o paciente sente os sintomas da covid, mesmo sem ter mais o vírus. Entre eles, falta de olfato, dores no corpo, falta de fôlego e até mesmo problemas de cognição, que podem persistir de seis semanas a nove meses.

Sintomas da insuficiência cardíaca


A insuficiência cardíaca é mais antiga. Tem grande impacto na vida do paciente, porque o coração não consegue bombear sangue suficiente para o organismo. Não é exagero dizer que o coração fica fraco. Doença grave e crônica, está entre uma das principais causas de internação no país. Ela tinge 2% da população do mundo, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

“Os doentes possuem, em geral, qualidade de vida ruim”, explica o médico Edimar Bocchi, autor da pesquisa e diretor do Núcleo de Insuficiência Cardíaca e Dispositivos Mecânicos para Insuficiência Cardíaca do InCor. “Eles sofrem com dores e com dificuldade de fazer coisas simples do dia a dia, como comer e tomar banho.”

O especialista explica que um dos sintomas da deficiência cardíaca é a falta de resistência para as atividades. “O doente fica cansado, quando come e quando toma banho, por exemplo. A ciência aumentou a sobrevida do paciente, mas não garantiu a qualidade de vida”, diz ele.

Coautor da pesquisa, Bruno Biselli –especialista em insuficiência cardíaca e transplante do coração pelo InCor HC-FMUSP– e Bocchi acreditam que o CBD tenha potencial para melhorar as dores, a depressão e a ansiedade dos pacientes.

Como serão as duas pesquisas inéditas do InCor

Os autores das pesquisas de insuficiência cardíaca do InCor irão acompanhar 100 pacientes, durante dois anos. Metade do grupo receberá CBD e a outra metade, placebo. Ao longo do tempo, haverá testes clínicos e os pacientes responderão questionários de sensação de melhora dos sintomas.

“O canabidiol melhora a qualidade de vida dos pacientes, mas queremos fazer o estudo científico para medir este impacto positivo e ainda verificar se há mudanças no quadro clínico geral”, diz Bocchi. “Até hoje não se tem notícia de nenhum estudo científico sobre o tema no mundo.”

Já o estudo da covid longa vai contar com 300 pacientes e tem o prazo de três meses para acabar. Ele não será restrito aos pacientes de São Paulo, pois foi desenhado para ser multicêntrico.

Este é um passo muito importante para que a Cannabis medicinal seja vista com menos preconceito e para que os médicos tenham em mãos dados calcados em estudos sérios.

InCor fechou parceria para colocar as duas pesquisas em prática

Sabe-se que no Brasil, a pesquisa está longe de ser uma prioridade. Ao contrário, os investimentos em Ciência caíram entre 2014 e 2018, de acordo com relatório da Organização Mundial de Saúde. O país gasta menos do que a média mundial em estudos nessa área.

Para realizar as pesquisas com CBD, o InCor fechou parceria com uma empresa de Cannabis medicinal, a canadense VerdeMed. Ela irá fornecer o CBD, e medicação das duas pesquisas. “Só com pesquisas que a ind´ústria da Cannabis conseguirá desenvolver novas terapias, que ajudem a sociedade”, diz o CEO da empresa José Bacellar. Bocchi espera conseguir mais verbas de apoio para as duas pesquisas inéditas com CBD.

Como encontrar um especialista com conhecimento em Cannabis medicinal

Apesar de ainda serem poucos os médicos prescritores de Cannabis medicinal no Brasil, já existem centros de excelência, que reúnem esses profissionais, como a Medicina In, onde as consultas acontecem on-line. Faça o agendamento de sua consulta online.

IMPORTANTE: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.